— Atendimento psicológico no Tatuapé – São Paulo

O maternar e a sua criança interior

O maternar e a sua criança interior

Têm muitas razões lógicas para explicar as variações de humor e sentimentos das mães durante todas as fases da maternidade, porém, quero ressaltar uma questão importante no maternar que é o reencontro com a sua criança interior.

A maternidade é uma fase onde revivemos a nossa infância de forma projetada.

É comum ver os pais desejar para os filhos as profissões que gostariam de ter tido ou que dêem sequência aos seus negócios; mas essa projeção acontece de muitas outras maneiras.

Certamente você já se deparou com situações em que: você briga com seu filho e depois percebe que exagerou muito na bronca? Ou quando você ficou muito nervosa, além do que a ocasião exigia?

O que aquela situação mobilizou em você para te deixar tão tensa? Ou até para te deixar tão culpada?

Você até encontra uma resposta racional, mas será que é o real motivo?

Alguém que acordava com brigas em casa e teve dificuldades em dormir enquanto criança pode sair do sério quando seu filho tem dificuldades para dormir;

Alguém que teve sempre que comer tudo o que tinha no prato “limpar o prato”, pode ter dificuldades em lidar com o filho que não come.

Essas e muitas outras questões podem refletir experiências inconscientes que aparecem em forma de atuação, ou seja, uma reação automática, impensada.

São as necessidades não atendidas da nossa criança interior que quando vivenciadas novamente, faz com que aquele processo, mesmo que doloroso, seja repetido em outro contexto, até que essa experiência seja elaborada e ressignificada.

A maternidade traz muitas questões não só pelo desafio e responsabilidade de criar um ser humano, mas por nos confrontar constantemente com nossa criança interior, com angústias que nem imaginávamos ter e reproduzimos na educação dos nossos filhos sem perceber.

Por isso o autoconhecimento é tão importante.

Por isso muitas mulheres vêem na maternidade a necessidade de iniciar um processo terapêutico, porque neste caso, a boa vontade ajuda, mas não é suficiente.

Mas ainda muitas mães vivem com uma angústia constante porque acreditam que esse sentimento é normal, mas ressalto, se existe sofrimento, busque ajuda! O maternar pode ser mais leve!

Qual entrave você têm na educação dos seus filhos? O que está mais difícil neste momento? Será que é uma questão do seu filho ou sua?

Por Psicóloga Thaisa Miguel

No Comments

Post A Comment

20 − 1 =

Fale Comigo